Infestações por pulgas em cães – Prevenção e tratamento

Infestações por pulgas em cães

Benjamin Franklin disse uma vez: "um grama de prevenção vale um quilo de cura", mas muitos não percebem que isso vale também para infestações por pulgas em nossos cães. Algumas pessoas pensam que existe uma "temporada das pulgas" para começar a combater essas infestações. Outros podem esperar até começar a ver pulgas em seus cães. No entanto, é muito mais difícil tratar as infestações por pulgas do que evitá-las.

 

Para ser capaz de lidar com pulgas e infestações por pulgas em seu cão, você deve primeiro conhecer algumas noções básicas sobre esses sugadores de sangue astutos.

 

Lutamos contra pulgas por muitos anos e é provável que continuemos a combatê-las por muitos anos. As pulgas que infestam nossos cães desenvolveram uma maneira muito eficaz de manter seu ciclo de vida. Devido ao pequeno tamanho das pulgas e à sua capacidade de se esconder nos pelos do seu pet, os donos de animais geralmente não percebem as primeiras pulgas que pulam em seus cães. Cada pulga fêmea em um animal infestado pode produzir de 40 a 50 ovos por dia (o que pode resultar em mais de 1.000 ovos em sua vida!) Pense nisso - se o animal tiver uma dúzia de pulgas nele e metade delas são fêmeas - isso pode resultar em 240-300 ovos de pulgas por dia.

 

Os ovos das pulgas caem dos pelos de um animal infestado para o meio ambiente. Assim, como você deve imaginar, muitos ovos acabam depositados nas áreas mais frequentadas pelo animal infestado. Esses ovos eclodem em larvas semelhantes a vermes, e alguns dias depois entram num estágio de pupa, onde formam casulos. A quantidade de tempo que eles podem permanecer como pupas pode variar - de uma questão de dias a meses, dependendo das condições ambientais. Quando amadurecem, as pupas liberam as pulgas adultas famintas, procurando um hospedeiro para pular e se alimentar.

 

Este é o ponto em que a maioria dos tutores de animais percebe as “primeiras” pulgas em seus pets. Infelizmente, neste momento, matar as pulgas no cão acabará com apenas uma pequena porcentagem das pulgas presentes. Isto porque, podem haver milhares de pulgas em estágio de desenvolvimento (ovos, larvas e pupas) espalhadas pelo ambiente onde quer que o cão possa ter passado nas últimas semanas. Poderá levar semanas ou meses até que todos esses estágios de desenvolvimento se tornem pulgas adultas que você poderá ver pulando no seu cão.

 

Para tratar uma infestação existente como essa, pode ser necessária uma combinação de estratégias:

 

No Pet

  • Trate o seu cão com um produto eficaz no controle de pulgas, que mata rapidamente todas as pulgas que saltam sobre ele.

 

Controle ambiental

  • Aspiração frequente de tapetes, carpetes e móveis onde o animal infestado passou algum tempo. Isso ajudará a remover algumas das etapas de desenvolvimento das pulgas do ambiente.
  • Lave qualquer roupa de cama ou itens laváveis em que seu cão esteja descansando.
  • Consulte um especialista em controle de pragas sobre o tratamento dentro ou ao redor de sua casa.
  • Limite a exposição do seu cão a pulgas recém-nascidas no ambiente

 

Felizmente, é fácil evitar infestações de pulgas em seu cão. Como a maioria de nós tem controle sobre onde nossos cães vão, podemos tentar limitar sua exposição a pulgas no ambiente. Também é importante que ajudemos a proteger nossos pets com o controle de pulgas durante todo o ano. NexGard® (afoxolaner) é um tablete macio e com sabor de carne que mata pulgas rapidamente - antes que elas possam colocar seus ovos - por um mês inteiro. Além disso, também mata carrapatos! Os cães adoram o NexGard - facilitando a administração, que não precisa ser feita junto com o alimento.

Artigos
Informações de segurança

NexGard® é destinado apenas para cães. As reações adversas relatadas com mais frequência incluem vômito, coceirapele seca/escamosa ou irritada (prurido), letargia, diarreia e falta de apetite. O uso seguro de NexGard® em cães gestantes, reprodutores ou lactantes não foi avaliado. Use com cautela em cães com histórico de convulsões ou distúrbios neurológicos. Em caso de dúvidas consulte o médico-veterinário.

 

Para mais informações, clique aqui .